Pelo menos 20 bairros estão com abastecimento de água comprometido em Várzea Grande | Mato grosso


A falta de abastecimento de água é um problema antigo em Várzea Grande. O volume tratado nas estações atende a toda demanda, por isso o fornecimento para os bairros já era feito de forma alternada. De acordo com o Departamento de Água (DAE) do município, a situação se agravou com a estiagem e comprometeu a distribuição em pelo menos 20 bairros da cidade.

No comércio de Juarez dos Santos, no bairro Unipark, não sai agua das torneiras há vários dias. Para manter a limpeza do local, só com a vassoura. "Está ficando difícil, nessa meta aí a gente não está aguentando segurar, não consegue limpar .. só varrer e ficar sem água e aí caixa d'água nada, para tomar um banho água nada … está difícil '', disse.

A queixa se estende a muitos outros moradores. O Unipark faz parte da região do bairro Cristo Rei, que sofre há anos com o vai e vem da água, mas nas últimas semanas a situação piorou.

"Ela vinha dia sim dia não, agora tem uns quatro meses que ela começou a vir de quatro em quatro dias. Você imagina o camarada pegar água de 4 em dias e ter reservatório suficiente pra isso '', disse o administrador de empresas Luiz Roberto dos Santos.

Moradores de Várzea Grande prestados com a falta de água – Foto: TV Centro América / Reprodução

A aposentada Maria Teles reclama que, apesar da dificuldade, a conta não deixa de chegar. '' Minha conta está lá, 128 reais de água se eu não tenho água … e veio o aviso: regularize a sua água porque vai ser cortada. Cortar o quê se nós não temos água quanto tempo? '' ', Questionou.

Conforme o DAE, a situação complicada deve seguir pelos próximos dias, porque com a falta de chuvas a captação de água no Rio Cuiabá fica mais complicada. O Departamento de Água e Esgoto tem emitido alertas há alguns dias – e o último mostra que a distribuição em pelo menos 20 bairros está comprometida.

A estimativa é de 84 mil residências atingidas. A alternativa é a entrega é de água com o caminhão-pipa pelo próprio DAE. Só que, segundo os moradores, o serviço está demorado.

'' Você vai no DAE, certo? Demora agendar, aí você agenda e esquece, porque alegam que não têm caminhão suficiente pra demanda de água que está faltando ", disse o comerciante Vamil do Nascimento.

O presidente do DAE, Carlos Alberto Simões, admite essa lentidão que, segundo ele, é fruto do aumento na demanda. Mas promete que vai melhorar.

"'' Está prevista a contratação de mais 30 caminhões-pipa, por determinação do prefeito, para que a gente possa atender isso de uma forma mais eficiente", disse.

A solução definitiva, aponta o DAE, é o funcionamento da Estação de Tratamento de Água (DAE) que está sendo construída ao lado da Central de Distribuição. A previsão é de que no começo de outubro as bombas conduzidas água até as casas com maior frequência. Tempo demais para quem já sofre com torneiras vazias.

"A gente fica aguardando se vai resolver ou se não vai resolver, porque do jeito que está insustentável o problema", finalizou o professor Luiz Roberto dos Santos.



Fonte: Link do post Completo

Call Now Button